Moçambique, Guiné Equatorial e Portugal em destaque no 2.º Fórum “Faixa e Rota”

Moçambique, Guiné Equatorial e Portugal foram os países de língua portuguesa em maior destaque no 2.º Fórum “Faixa e Rota” para a Cooperação Internacional, que ficou marcada pela adesão de novos parceiros à iniciativa global chinesa.

A lista de resultados do 2.º Fórum, realizado de 25 a 27 de Abril em Pequim, indica ter o governo da China assinado um memorando para cooperação na estratégia Faixa e Rota com o governo da Guiné Equatorial, membro da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Foram ainda assinados memorandos com os governos da Libéria, Luxemburgo, Jamaica, Peru, Itália, Barbados, Chipre e Iémene.

O documento final refere também que o governo da China assinou planos de cooperação e acção com Moçambique, com a União Africana e ainda com organismos das Nações Unidas.

O mesmo tipo de instrumentos foi assinado com os governos da Sérvia, Djibouti, Mongólia, Etiópia e Papua Nova Guiné.

Em declarações à imprensa no final do Fórum, o presidente chinês, Xi Jinping, afirmou que a “mensagem” do Fórum deste ano foi “clara”: “cada vez mais amigos e parceiros vão juntar-se na cooperação da Faixa e Rota.”

Na véspera do início dos trabalhos, a 24 de Abril, Xi Jinping encontrou-se com o Presidente de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, no Grande Salão do Povo.

Moçambique, segundo uma nota oficial, é um local “importante na antiga Rota da Seda Marítima e participou activamente da construção da iniciativa Faixa e Rota nos últimos anos”, tendo os dois lados chegado a um acordo sobre a promoção conjunta do plano de cooperação da iniciativa.”

Filipe Jacinto Nyusi disse que Moçambique “está disposto a desempenhar um papel activo na construção conjunta da iniciativa Faixa e Rota na sub-região africana”, refere a mesma fonte.

Após a reunião, os dois chefes de Estado testemunharam a assinatura de documentos de cooperação bilateral.

No Fórum participou ainda o presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, que usou da palavra na terceira sessão de trabalho subordinada ao tema “Promover o desenvolvimento amigo do ambiente e sustentável para aplicar a Agenda 2030 da ONU.”

Recebido pelo Presidente da República Popular da China, Xi Jinping, Marcelo Rebelo de Sousa participou ainda nas sessões de trabalho sobre Conectividade e Sinergias Políticas e Parcerias.

Paralelamente, Marcelo Rebelo de Sousa promoveu, na residência do Embaixador de Portugal em Pequim, um jantar com os presidentes de algumas das maiores empresas chinesas com investimentos em vários sectores de actividade em Portugal.

Uma nota da Presidência portuguesa informa terem participado Lei Mingshan, da China Three Gorges Corporation, Wang Qunbin, da Fosun International Limited, Xing Baoan, da State Grid Corporation of China, Qu Qiuping, da Haitong International Securities Group, Li Yongcheng, da Beijing Enterprises Water Group, Pansy Ho, da STDM Investimentos Imobiliários/Estoril Sol, Patrick Yu, da COFCO, Liu Liange, do Bank of China, Guo Chuntai, da Tianjin EV Energies Co., Guan Qing, da CSCEC – China State Construction Engineering Corporation, entre outros.

A visita de Marcelo Rebelo de Sousa à China termina dia 1 de Maio, em Macau, depois de ter estado em Xangai, a “capital” económica chinesa. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH