Valor estratégico, político e económico de países africanos determinante para inclusão na iniciativa “Faixa e Rota”

29 May 2017

O valor estratégico, político e económico será determinante para a inclusão pela China de países africanos na estratégia “Faixa e Rota”, que mobilizará um investimento superior a 78 mil milhões de dólares, de acordo com investigadores universitários.

A investigadora Mandira Bagwandeen afirma em artigo para o Centro de Estudos Africanos da Universidade de Stellenbosch (África do Sul) que os investimentos já em curso no nordeste e leste de África, nomeadamente em países como o Quénia, Egipto e Jibuti, demonstram que a região é de importância significativa para a realização daquela iniciativa.

Contudo, sublinha a investigadora, as “ambições” da iniciativa poderão conduzir a “incursões de investimento para lá dessas regiões”, tendo em conta o sucesso dos projectos em curso na “facilitação do comércio, antes de decidir expandir o projecto a mais países africanos.”

“Esta expansão potencial dependeria do facto de os países abrangidos pela iniciativa terem algo para apresentar, seja valor geoestratégico, geopolítico ou geoeconómico”, refere Bagwandeen.

Um memorando de entendimento entre a China e a União Africana, de Janeiro de 2015, prevê ligar os 54 estados africanos através de projectos de infra-estruturas de transporte, o que oficialmente não faz parte da iniciativa, mas que tem vindo a ser tratada por líderes africanos e analistas enquanto tal.

“Ao incluir formalmente o continente na iniciativa, a iniciativa captará mais atenção internacional, enquanto o governo chinês provavelmente acelerará e estimulará projectos económicos em África, como resultado disso. Além dos incentivos económicos, incorporar a África na iniciativa serve para fortalecer as relações sino-africanas. Contudo, apenas os países africanos estratégicos para a iniciativa, especialmente os que são vitais para o estabelecimento e fortalecimento de elos comerciais, serão definidas prioridades pelo governo chinês”, afirma Bagwandeen.

O Presidente da China, Xi Jinping, anunciou este mês em Pequim 540 mil milhões de yuans (78 200 milhões de dólares) para projectos que integrem a iniciativa Novas Rotas da Seda, um projecto de infra-estruturas com o qual a China pretende fortalecer o seu relacionamento comercial na Ásia, África e Europa.

O Presidente disse que a China vai contribuir com 100 000 milhões de yuan (14 500 milhões de dólares) adicionais para o Fundo da Rota da Seda, criado em 2014 para financiar projectos de infra-estruturas e providenciar ajuda, nos próximos três anos, no valor de 60 000 milhões de yuan (8700 milhões de dólares) a países em desenvolvimento e a organizações internacionais que participem na iniciativa.

Dois bancos – de Desenvolvimento da China e de Exportações e Importações da China – vão também oferecer empréstimos especiais até 380 000 milhões de yuan (55 000 milhões de dólares) para apoiar a iniciativa “Faixa e Rota.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH