Aumento das receitas petrolíferas permite “multiplicação” de projectos de construção em Angola

2 May 2012

Os projectos de construção em Angola estão a multiplicar-se, beneficiando grandes empresas como a chinesa SinoHydro, devido ao aumento das receitas petrolíferas do país, de acordo com a Economist Intelligence Unit (EIU).

“Há anúncios diários de novos projectos para construir habitação de baixo custo e social, para construir ou recuperar redes de estradas e para abastecer água e electricidade”, refere a EIU no seu mais recente relatório sobre Angola.

De acordo com os analistas britânicos, só no último mês a chinesa SinoHydro e a brasileira Odebrecht receberam adjudicações no valor de 200 milhões de dólares para projectos de água e saneamento nas províncias de Malange e Cuanza Sul.

Os investimentos, em ano eleitoral, vêm impulsionar o plano “Água Para Todos”, que estava a sofrer atrasos, de acordo com a EIU.

Em curso está também a construção do novo Aeroporto Internacional de Luanda, na localidade de Bom Jesus, mas também o terminal de voos doméstico do actual aeroporto está a ser remodelado pela segunda vez em 3 anos.

O “novo foco de construção” é visível também em províncias mais remotas, como Lunda Sul, Lunda Norte, Moxico e Cuando Cubango, onde o investimento tem sido historicamente mais baixo do que na capital angolana.

A EIU prevê este ano para Angola um crescimento do Produto Interno Bruto de cerca de 7,7%, mais do dobro do registado em 2011, abrandando para 7% no próximo ano e para 6,2% em 2014.

Os principais motores de crescimento, em termos percentuais, serão este ano as exportações (10,3%), importações (8,5%), investimento (8%) e o consumo público (7,1%).

No próximo mês Angola irá iniciar a exportação de gás natural, depois de um investimento de 9 mil milhões de dólares.

As previsões da EIU apontam para um crescimento contínuo da exportação de petróleo, com os preços a nível internacional a manterem-se “elevados”.

Para apoiar a criação de pequenas e médias empresas, fortalecendo assim o sector privado angolano, criar empregos e diversificar a economia, o governo anunciou recentemente a disponibilização de incentivos avaliados num total de 1,8 mil milhões de dólares.

Com o mesmo fim, o governo anunciou também a criação do Instituto de Fomento Empresarial, no Ministério da Economia, para definição de políticas e execução de programas de incentivo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH